Djalma Pinheiro

Ah, se eu fosse um poeta....

Textos

Timidez........
 
Nova semana,
Novos dias que chegam,
Fico aflito para te ver passar,
Seu andar que vai do sublime ingênuo,
Ao mais malicioso do requebro de seus quadris,
Sentir seu perfume, me embriagando com seu aroma,
Fico em minha mesa de trabalho paralisado,
Mentalmente te amando,
Desnudando todo o seu ser,
Sonhando acordado que me amas,
Mas tudo se dissipa e volto à realidade,
Quando me dou conta,
Que não posso te ter.
 
Terça feira.
Acordo com a sua imagem em minha mente,
Esta até difícil de dormir,
Pois passei a noite a pensar nela,
Querendo sonhar que estou em seus braços,
Minha cabeça em seu colo,
Sua caricias em meus cabelos,
Nossa que noite,
Acho que estou enlouquecendo de amor,
Torço para o tempo passar rápido e te ver,
Sentir teu perfume e nele me embriagar de amor,
Chegas e passas por mim,
Pela primeira vez que acenas com um bom dia,
Fiquei paralisado,
De  meus olhos saiam faíscas,
As mesmas de uma criança ao ver seus brinquedos,
Puro estase,
Nossa que alegria contida,
Contida pela minha timidez.
 
Nossa já é quarta feira,
Acordo já pensando nela,
Tento por a cabeça em ordem,
Pois foi mais uma noite e tanta com os mesmos sonhos,

Mesmos anseios de ter minha amada,
Fico ensaiando na frente do espelho,
Como responderei a ela seu voto de um bom dia,
Ensaio as mais lindas palavras de um bom dia carinhoso,
Chego mais cedo ainda e me posto em minha mesa,
Mãos tremulas, aguardando sua chegada,
Ela aparece, linda, majestosa,
Tenho a visão da mais linda Deusa,
Vem em minha direção e sorri,
De seus lábios saem um melado,
Bom dia amigo,
Fico pálido e sem ação,
Respondo com a voz embargada de emoção,
Um simples, bom dia Senhora,
Meu Deus me livre de minha timidez.
 
Fico em  meu quarto pensando,
Hoje já é quinta feira e ainda  assim continuo,
Com esta cara de bobão apaixonado,
Queria ter  a coragem de me declarar a ela,
Deixar sair de meus lábios,
O que vem de meu interior,
Sairia as mais lindas palavras de amor,
Pois o que sinto é intenso, lindo e puro,
Mas esta triste timidez me torna este ser,
Inseguro, triste e solitário,
Queria saber fazer poesias,
E a ela dedicar a mais linda de todas,
Que talvez seja simplesmente,
Eu te amo.
 
Uauu, sexta feira,
Dia que todos saem para curtir, azarar, namorar,
E eu aqui em minha solidão,
Queria ter a coragem de convidar minha Deusa,
Sair, andar de mãos dadas pela rua,
Caminhar na areia da praia,
Escrever seu nome na areia,
E nele desenhar um enorme e lindo coração,
Mas estou aqui em minha mesa, sonhando.
 
Chega minha Deusa,
Me da uma boa olhada e pisca seus lindos olhos,
Se aproxima e me convida,
O convite é para a ela fazer companhia,
Pela noite boemia de uma sexta feira,

Fico tremulo, gelado tamanha é a emoção,
E do fundo de meu ser, sai minha voz,
Dizendo que aceito, fico louquinho o dia inteiro,
Contando os minuto e segundos para estar ao seu lado,
Nossa que felicidade estou sentindo,
O mais feliz dos mortais.
 
Estranho, sentia uma sensação indescritível,
Sentado ao lado de minha Deusa,
Fiquei parecendo ou me achando um Deus Grego,
Pois estava ali com ela na mesa do bar,
Sentindo-me como no Olimpo,
Sentindo-me caminhando sobre nuvens.
 
Mais ao acordar,
Percebi que eu não era tímido,
E sim me resguardava para minha Deusa,
Foi ai que me senti realmente um Rei,
Pois ao meu lado na cama,
Estava minha  Rainha,
Minha Deusa, meu tudo,
Seu perfume enchia o quarto de aroma do campo,
Sua nudez era como se fosse uma tela de Giorgione,
Pensei estar sonhando, quando gemias,
Quando dizias me amar muito,
Não era sonho ou era o mais bonito dos sonhos,
Que se perpetuará em meu coração,

Te amo e sempre te amarei...................

Djalma Pinheiro


Djalma Pinheiro
Enviado por Djalma Pinheiro em 28/02/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras